Por esta eu não esperava: diferente do que fazemos constantemente aqui no nosso site (mando fotos com legendas pro meu querido e amado amigo André fazer as versões desenhadas delas), desta vez ele não só fez os lindíssimos desenhos que eu já estava eperando, como também bolou uma história em quadrinhos contando os "bastidores" das fotos, ou simplesmente situações em cima do que eu contei para ele. Ainda tem muito mais para postar aqui, a seguir, as 3 partes da história. Putz! Por isso que estes desenhos demoraram um pouco mais que o normal, e eu já estava possessa da vida!
     
Meu irmão chegou ao haras ainda pela manhã, junto com a Adri, nma carona providencial no helicóptero da Camila.
Abaixo: a ex-amazona Raks e eu.

Esta é a Raks (acima) que, quando tinha 15 anos, fazia hipismo, mas parou não sei por quê. Raks, você tem que voltar a praticar, menina! Ah, nota importante: esta estante que fica na ante-sala do estábulo, segundo a Camila, pertenceu ao Barão de Jaquateraba, que quamdo começou a perder sua fortuna durante a crise das casas-de-engenho, enlouqueceu e pôs-se a enveredar pelo ocultismo. De acordo com o que diz a "lenda" (lenda da Camila, quem conhece a peça já sabe do que eu estou falando) o espírito do Barão mora nesta estante, e se você fechar as gavetas de maneira muito brusca, e se guardar equipamentos eqüestres sujos, ele se sente ofendido e aparece pra você de noite.
Os convidados começaram a chegar ainda pela manhã. Foi uma festa full-time, alguns ficaram da manhã até a noite, outros tiveram que sair, outros chegaram no final da tarde ou a noite. Acima somos eu e o Soleid, primo do Danibê, consequentemente, meio parente meu também.
(acima) O Danibê e eu conversando a beira de uma das piscinas, me falando que precisávamos achar o capacete que eu perdi quando fui montar cedinho pela manhã, mas que queria procurar durante a festa. Agora olha a genialidade desta imagem: eu e meu amorzão juntinhos ali "dentro" do copo, porcausa da refração da luz! Putz, que sacada magnífica! Vou mandar ampliar esta foto e emoldurá-la no meu quarto. Coisa de gênio mesmo, ele não gosta de elogios exagerados assim, porque diz que o que faz é muito natural, mas não tem jeito, eu sou a maior fã do meu pai, o sr. Arthur Breta. Beijoca, pai! (e, claro, méritos pro André, que desenhou a tal foto do jeitinho que ela é.obrigada! me desenha mais que eu estou esperando, hihi!)
A Simon, eu e a Adri (acima). Nós não fumamos, aliás eu odeio cigarro, estas coisinhas na nossa boca são anten... ops, são as hastes dos nossos pirulitos. Nós três bancamos as "mafiosas do pirulito", a Adri até teve a brilhante idéia de pegar o pote de pirulito da mesa e cobrarmos um pedágio, que seria um beijo na boca, dos homens que quisessem pirulito. Ela só não fez isso porque eu lembrei pra ela que é mais velha do que eu, e eu estava fazendo 30 anos ali! Hihihi, cada uma que me aparece... ...sem falar que eu e a Simon estamos namorando (cada uma com o seu próprio namorado, que fique claro!)
Figura ilustre na minha festa, o grande estudioso, leitor, conhecedor, colecionador, comentarista, editor e enciclopédia ambulante de histórias em quadrinhos: Sidney Gusman.
A Ailin, eu e a Camila (acima): gente que não podia faltar na festa, uma amiga do coração, a aniversariante e a dona da casa. Olha só que coisa, este site é meu, eu que sou bastante desenhada pelo André e coisa e tal, mas são estas duas amigas minhas que têm tattoos feitas por ele. A Ailin já conhecia a Camila de outros "carnavais", mas nunca tinha ouvido a banda da Natasha (namorada da Camila) se apresentar ao vivo. E eu tenho certeza de que houve uma reciprocidade aqui: os caras da banda (exceto o baterista, hihi) ficaram babando pela Ailin, o que é super natural, a mulher é da minha altura, é linda, é inteligente, articulada, charmosíssima e ainda usava um decote que eu vou te contar!
Mais ou menos no meio do showzinho que a Natasha e sua banda deram no jardim, me caiu a ficha de que uma de minhas convidadas, a Manuela Freua (acima), estava ali, recém chegada de um... ENSAIO! Ela também é uma excelente cantora, e foi prontamente chamada por mim para dar uma canja com os rapazes. Quem estava lá naquela hora viu uma das belas interpretações para Summertime, putz! De chorar...
A aniversariante (quem, quem?), a Cora Rónai e papai. Momento "jornalismo verdade": papai foi fotógrafo na primeira guerra do Golfo e a Cora é editora premiadíssima de O Globo. Somente eu que estou de bicuda, uma mera veterinária (eu conheço a fisiologia de uma foca, serve, Cora?) ao lado destas feras (também conheço a fisiologia de animais ferozes). Em comum, nós três temos o gosto por animais, fotografia e viagens.
Meu irmão (acima) é um arquiteto de sucesso em Boston, já fez seu pé-de-meia e agora começa a "bordar" o outro pé, para completar o par. Enfim, profissional de sucesso ganhando em dólar, pequeno e fraco como ele é, vai precisar de guarda-costas sempre que vier ao Brasil. Na ocasião do meu aniversário, olha só quem está pagando de bodyguard! Hihihi!
O Danibê, a Paulinha e eu (acima), no mezanino.
A banda da Natasha tem um som que é uma fusão do Cowboy Junkies com o Cocteau Twins. Foram eles que tocaram no coreto motado no jardim. Clique na figura ao lado para ampliar o desenho em que aparecemos eu e a formação atual da banda.
"Eu sou Leila Sterenberg e este é o seu canal de notícias 24 horas no ar". Quem tem GloboNews já deve ter visto uma apresentadora muito bonita, poliglota, inteligente e de cabelos curtos por lá. É a Leila, que além de tudo isso é uma mulher fina, culta, do bem e mãe de uma menina linda chamada Laura. Nos conhecemos através de um amigo em comum, que vive entre Rio e Sampa, e desde que descobrimos que não somos soteropolitanas, mas que nossos pais nasceram em Salvador, ficamos super amigas. Fiquei feliz e surpresa com a presença dela na festa.
Olha, não pensa que o André esqueceu de pintar o meu amigo Kipper (acima), ele estava exatamente assim na festa. Kipper rocks!
A Lili, eu e a Manu (acima), mas não a Manu cantora, esta é a Manu veterinária,.
A Zinha, o Danibê e eu, espancando este abusado, que nos levou num carrinho elétrico até às árvores para recuperar o capacete perdido. Você não imagina a "coisa" que nós vimos quando chegamos lá.
Acima, antes de descer da muretinha, o Danibê mostra zelo com sua namorada (eu) e protege minha cabeça. Mais tarde ele me confessou que ia colocar o capacete nos meus seios, pra fazer uma chacota, só não fez porque meu pai estava do lado, fazendo a foto que virou este desenho. Eu realmente sei escolher namorados sérios e maduros, não?
A Adri de novo, meu irmão Luke, eu e o Dudu, na frente.
Meu afilhado Luciano, eu, o Leandro (namorado da Mi) e a Mi. A Mi me contou que durante a festa, sem ninguém perceber, foi andar pelo haras da Camila e que encontrou uma piscina coberta, não usada para a festa, e que... shhh, não posso comprometer a minha amiga. Mas olhas, às vezes até eu acabo descobrindo lugares novos naquele haras incrível...
Eu, minha amiga Leila e minha prima Cat (Catarina Soman, só "somando", né Cat? vi você com o Jürgen da banda da Natasha, hihihi!). Ela veio pra minha festa porque quis resgatar uma calça que eu tinha "sequestrado" na última vez que estive em Salvador. Aliás, que coincidência nesta imagem: nós três temos lugações fortes com a capital baiana. Amei o cadeau que a Leila me deu de presente, lindo lindo!!!
Manu, Simon, primo Théo e eu. O Théo, meu primo por parte de pai, é um chato de galocha. Ele tem resposta pra tudo, muito inteligente, ótimo orador, muito culto, ele faz associações incríveis entre assuntos diversos, você viaja com o que ele diz e quando percebe, ele já torceu seu raciocínio ao contrário. Ele sabe que é chato, por isso eu não faço nenhuma cerimônia de contar isso aqui, também sabendo que eu o amo, fica tudo bem. Hihihi! Quando eu lhe pergunto se ele não se sente triste por ter que conviver aqui na Terra com pessoas cretinas e burras (perto dele, todo mundo é cretino e burro, acredite em mim, exceto eu, a Manu e a Simon, claro, hihihi!). Ele me diz que consegue a proeza de ser feliz e inteligente ao mesmo tempo porque, na verdade, segundo ele, a apatia dos mais cultos diante dos idiotas se refere aos incultos não conseguirem perceber a superioridade dos mais refinados, por isso que ficam desgostosos com a vida, você estuda, lê milhares de livros, ouve músicas bem feitas, assiste excelentes filmes, vai ao teatro, etc e tal, aí a maioria das pessoas passa por você sem um pingo de admiração e respeito, daí que se origina a tristeza dos mais literatos, eles querem atenção! ...bom, isso é o que ele diz...
 
.. se você chegou a esta tela e não vê o menu de navegação no alto, clique no botão ao lado para abrir o site desde o princípio. ...>